A Justiça

Algumas vítimas do “Golpe do Motoboy” questionam judicialmente as operações realizadas, a responsabilidade pelo pagamento e o direito a o recebimento de indenizações (danos morais e materiais) de acordo com o caso.

No entanto, ainda que os modos operacionais do “golpe do motoboy” sejam semelhantes, somente com a análise do caso concreto e de inúmeros documentos é que o profissional capacitado terá condições de avaliar o procedimento que poderá ser adotado.

Ademais, a própria postura da vítima com relação aos valores e cobranças influenciam no procedimento judicial, pois, algumas vítimas preferem realizar o pagamento normalmente das faturas e questionar sua cobrança, outras pretender realizar o pagamento em juízo e outras desejam obter ordem judicial suspendendo a cobrança.

Contudo, ainda que o judiciário ao longo dos anos tenha aprimorado a análise do “golpe do motoboy”, é impossível prever o desfecho de qualquer procedimento judicial, existindo as mais variadas sentenças beneficiando a vítima integralmente, parcialmente ou julgando improcedente o pedido, portanto, ainda que seja um caso conhecido e crescente no judiciário, o resultado final do processo depende de inúmeras variáveis.

E, quando a discussão é no âmbito judicial, existem inúmeros debates processuais e outras questões complexas, razão pela qual, dependendo da situação, a utilização da justiça comum pode ser mais apropriada do que o juizado especial, por isso a busca pelo profissional capacitado pode ser aconselhável.

Além disso tudo, é sempre importante que o consumidor tenha ciência sobre os procedimentos judiciais que são adotados e realizados, devendo sanar todas as dúvidas com o profissional contratado.